Já ouviu falar de uma planta chamada Confrei? E de Metodologias Ágeis?


Quando eu era bem pequeno, talvez por volta de 8 anos de idade, me lembro bem de ver minha mãe fazendo diariamente para o meu pai um chá de uma planta de folhas bem verdes, chamada Confrei. De acordo com ela, o chá era bom para tudo: pressão, coração, digestão, etc. Acho que ela tinha esperança que funcionasse até mesmo contra o hábito inveterado de fumar do meu pai. Mesmo ainda criança, lembro que já me gerava uma certa desconfiança a existência de alguma coisa que fosse boa para tudo.

Passaram-se alguns anos, e como a maior parte dos meninos homens, eu era fascinado pelas viagens espaciais. Acompanhava com bastante interesse tudo que era relacionado com o assunto, em especial as viagens dos ônibus espaciais. E me lembro muito bem de uma notícia que na época me chamou a atenção: do alto da sua enorme experiência e conhecimento, o brilhante presidente americano George H. W. Bush (o pai), havia chegado à conclusão de que os projetos da NASA poderiam ser otimizados, e ordenou a introdução de uma nova forma de conduzir projetos na agência. Esta forma inovadora, chamada de "Faster, Better and Cheaper" (Mais rápido, melhor e mais barato), com o tempo se mostrou um desastre, e o número de missões mal sucedidas da NASA aumentou além dos limites aceitáveis (quem tiver curiosidade, pode ler o relatório oficial do programa em NASA FBC TASK FINAL REPORT).

Quando comecei a estudar e praticar gerenciamento de projetos, vi que, também nesta área, havia uma crença que pode ser sumarizada na famosa frase "Não existe almoço de graça!". Em gerenciamento de projetos isso significa que quatro características de um projeto estão intimamente relacionadas, e você não consegue alterar uma sem alterar pelo menos uma outra: duração do projeto, custo do projeto, qualidade do projeto e escopo do projeto. Como um exemplo, se você pretende diminuir o custo de um projeto mantendo a qualidade e o escopo (o "tamanho" do que o projeto fará), você deve esperar uma duração maior. E se você pretende diminuir o tempo de um projeto mantendo o custo e o escopo, você deve esperar uma queda na qualidade. Portanto, vendo em retrospectiva, o nome do programa da NASA parece uma grande piada, e talvez a diminuição da relevância da agência no mundo atual possa ser um efeito colateral do programa.

Então, quando do surgimento das assim chamadas metodologias ágeis de gerenciamento de projetos, recebi a novidade com ceticismo. E quando percebi que muitos estavam encarando (e ainda encaram) estas metodologias como um Confrei do gerenciamento de projetos, aí foi que fiquei realmente preocupado.

Metodologias ágeis não são para todo tipo de projeto. Em geral, são melhor aplicadas em projetos nos quais mudanças são bem aceitas e consideradas como parte do processo. Projetos nos quais os custos da mudança podem ser altos, as mudanças precisam ser bem gerenciadas, e de preferência concentradas nas fases iniciais.

Como um exemplo, em projetos de construção, metodologias ágeis podem ser usadas com sucesso nas fases de pré-desenho e desenho. No entanto, na fase de execução da obra, as próprias características do produto sendo gerado pelo projeto colocarão uma série de restrições em relação a alterações nos requisitos e de ordenação das entregas, fazendo com que as metodologias tradicionais tenham mais chance de sucesso (caso se interesse, leia mais em IS AGILE PROJECT MANAGEMENT APPLICABLE TO CONSTRUCTION?). Formalismo, em alguns casos, é um investimento que paga seu preço em ouro! Mesmo que você fique ansioso por seu projeto ainda não estar entregando algo de concreto, saiba que você pode estar, na verdade, economizando muito tempo no futuro.

O Planejamento Estratégico de uma empresa normalmente gera um conjunto de projetos que precisam ser executados para que a empresa possa ocupar e manter uma posição estratégica rentável (veja mais sobre isso nos posts Se (sua empresa) não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve! e É realmente possível (e necessário) convencer alguém que seu projeto é importante? deste blog). Alguns destes projetos poderão ser adequados a serem gerenciados através de metodologias ágeis. Outros não, e os bons profissionais de gerenciamento de projetos saberão diferenciar um do outro e escolher, para cada projeto, a metodologia mais adequada a ser aplicada. É como o Confrei: não tente usar para tudo, pois provavelmente, em alguns casos, você não vai ter os resultados esperados.

#Projetos #PlanejamentoEstratégico

Posts Em Destaque
Posts Recentes